O Skate, um esporte e uma arte!

Muito se fala sobre o futebol, o qual sempre ganhou olhares de todos os lados no mundo todo, seja pela grande habilidade de alguns jogadores, seja pelo esporte em si, seja pela paixão da bola e até mesmo pela grande oportunidade que ele traz aos jovens.

No entanto, hoje o destaque é para um esporte que tem ganhado cada vez mais espaço e atraído muitos para o desafio que é se equilibrar sobre uma prancha dotada de quatro rodinhas e dois eixos e, além de tudo, consiste em fazer manobras radicais, as quais encantam qualquer plateia. Adrenalina total! Falaremos então do Skateboarding ou, como conhecido por aqui, Skate! Estudos apontam que o skate surgiu na década de 1950, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, obtendo grande notoriedade na década de 90, quando o seu líder, Tony Hawk, skatista norte americano, ajudou na sua popularização. No Brasil, o skate começou a ser praticado na década de 1960, só ganhando maior notoriedade em 1970, onde houve, em 1974, a inauguração da primeira pista de skate da América Latina, em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro.


Hoje, conseguimos fazer com que este esporte fosse incluído na Olímpiada, ocasionando uma grande evolução. Conforme a sua grande complexidade e perfeição nas manobras, enxergamos este esporte também como uma Arte, tendo em vista a extrema habilidade que o atleta necessita, o qual deve estar em sintonia total com o seu skate, a todo instante, pois qualquer interferência naquele momento, pode ser fatal e tirar a sua atenção e sincronismo. Na Olímpiada de Tókio, o qual o skate fez a sua estreia, destacamos o grande desempenho da brasileira Rayssa Leal. Com apenas 13 anos de idade, ela conquistou Medalha de Prata na competição skate street, a qual deu um show e mostrou que o skate também é para meninas. Por ser um esporte radical, essencial o uso de equipamentos de segurança como capacete, joelheira e cotoveleira, sendo que sua prática se divide em algumas modalidades:


(i) Freestyle = manobras feitas em sequência, no chão.

(ii) Down Hill = descida de ladeiras na maior velocidade possível.

(iii) Downhill Slide = Descida de ladeiras em alta velocidade, realizando manobras de derrapagem.

(iv) Vertical = é praticada em pista, e pode ser subdividida em outras modalidades, variando sempre as condições da pista. As manobras podem ser aéreas ou deslizando pela borda metálica da pista.

(v) Street Style (skate de rua) = na modalidade mais praticada em todo o mundo, os bancos, corrimões, escadas das ruas das cidades são utilizadas como obstáculos para o skate.

(vi) Mini-rampas = praticado em rampa que mistura os estilo Street e Vertical (paredes pouco inclinadas).


Além da recente novidade e medalhista olímpica Rayssa Leal, vale destacar também outros brasileiros que são feras neste esporte, sendo que a lista se inicia com Bob Burnquist, que já foi Campeão Mundial por 10 vezes dentre outras medalhas e campeonatos garantidos e considerado o melhor skatista do mundo em 1997; Dora Varella; Isadora Pacheco; Kelvin Hoefler; Letícia Bufoni; Luiz Francisco; Pedro Barros; Pâmela Rosa e Sandro Dias (Mineirinho). Sim, esta lista de nomes é apenas demonstrativa, não se esgotando então, pois ainda existem muitos skatistas que são bons mas ainda estão nos pequenos campeonatos, onde estão se aperfeiçoando para, muito em breve, estarem se destacando e alcançando muitas medalhas e, inclusive, a próxima Olímpiada.


Mas, para tanto, destacamos que para isso, faz-se necessário ter comprometimento, disciplina, muito treino e acreditar. Então, Acredite e traga o skate para a sua vida como um esporte e uma arte.


Fabiano de Cássio Bocalon

Advogado

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo